Evolução do Uniforme da Holanda (Países Baixos)

Primeiro Uniforme 

A Associação de Futebol Real da Holanda (KNVB) foi fundada em 1889 e filiou-se à FIFA em 1904, mas a primeira partida oficial desta seleção só ocorreu em abril de 1905. Neste encontro os holandeses que venceram a Bélgica por 4 a 1 ainda não usavam a tradicional camisa laranja. O uniforme usado era composto por uma camisa branca com listras diagonais nas cores da bandeira holandesa (azul, branco e vermelho) com caçoes e meias pretas.

A tradicional camisa laranja só foi introduzida dois anos mais tarde, em abril de 1907, contra a mesma Bélgica em sua sexta partida oficial. A escolha dessa cor tão icônica e que não está presente na bandeira se deve a homenagem a Guilherme de Orange impulsionador da independência dos Países Baixos e conhecido como o fundador da nação. Esta também é a cor nacional e da família real. (Lembrando que os Países Baixos ainda são uma monarquia e que a designação Holanda não está totalmente correta, pois esta é apenas uma das províncias desde pais).

Inicialmente o laranja da camiseta era acompanhado por calções brancos e meias azuis e algum tempo depois as meias se tornaram laranjas também. No início dos anos 70 os holandeses passaram a usar o calção preto como sua primeira escolha em muitas oportunidades. Já na Copa de 1978 o calção laranja (formando pela primeira vez um uniforme inteiramente nesta cor) também foi usado.

O calção branco voltou ainda no final desta década e os detalhes nas camisa que antes eram pretos também se tornaram brancos. O uniforme principal se manteve dessa forma por muito anos, incluindo a mais famosa camisa holandesa, produzida pela Adidas e com detalhes geométricos e em degrade. Essa camisa usada na Euro de 1988, foi muito controversa na época, mas hoje sem dúvida é um clássico.

Nesse grande período apenas os detalhes da camisa variaram entre o branco o preto e o azul, até que em 2000 o calção principal voltou a ser preto por um curto período. Em 2004 ele retorna ao branco e em 2006 as meias se tornam azuis.

Desde então o conjunto vai mudando em todas as temporadas e em 2012 a Nike lança um uniforme inteiramente laranja, depois da combinação tradicional em 2014, a empresa americana traz mais uma inovação em 2016 com camisa e calção laranja e meias azuis. Em 2018 o conjunto tradicional retorna.

              

Segundo Uniforme

 A Seleção dos Países Baixos estreou em Mundiais na

Copa de 34 e em sua primeira partida os holandeses usaram seu uniforme reserva: inteiramente azul com as meias em um tom mais claro.

Nas décadas seguintes o uniforme reserva passou a ser inteiramente branco e de 1978 até 1996 camisas e meias continuaram brancas, mas o calção era laranja.

Em 1996 a Nike lança um dos uniformes reserva mais bonitos entre todas as seleções na minha opinião. Com camisa e meias azuis com detalhes me laranja o calção laranja, ele ficou elegante e moderno. Na versão seguinte em 98 o calção fica azul e as meias laranjas, e em 2000 o uniforme reserva se torna inteiramente azul.

Em 2002 a Nike introduziu mais uma grande novidade com a primeira camisa preta usada pela Seleção Holandesa. Esse uniforme inicialmente era completado pelo calção laranja e as meias pretas, mas também foi usado na versão inteiramente preta.

Depois uma versão bem tradicional em 2004 a Nike lança um uniforme reserva fazendo referência à primeira camisa usada em jogos oficiais em homenagem ao centenário desta. Além da camisa branca com as faixas diagonais nas cores da bandeira o uniforme era composto por calção azul e meias brancas.

Em 2007 o uniforme é semelhante ao anterior, mas a camisa ganha um tom de azul claro com detalhes nas cores da bandeira o que o deixa muito parecido com um pijama e em 2010 a camisa volta a ser branca.

A próxima mudança arrojada da Nike acontece em 2012 com o lançamento de um uniforme inteiramente negro com detalhes em laranja na camisa, esse lindo uniforme só foi usado durante uma temporada e no ano seguinte é substituído por um inteiramente branco com grandes detalhes vermelhos e azuis na camisa seguindo o padrão da camisa principal.

De 2014 para cá o uniforme reserva tem sido inteiramente azul, inicialmente em um tom bem escuro e com detalhes em laranja e agora em tons mais claros e com os detalhes em azul escuro.

                                           

Terceiro Uniforme e Uniformes especiais

Os Holandeses introduziram alguns terceiros uniformes nos anos 80 e início dos anos 90, inteiramente azuis e com tons variados. Já em 2004 o terceiro uniforme foi inteiramente preto seguindo a receita encontrada em 2002.

Em 2005 em uma série de amistosos os holandeses usaram um uniforme especialmente produzido pela Nike nas cores preta e branca em campanha contra o racismo.

                              

Evolução do Uniforme da França

Primeiro Uniforme       

A primeira partida oficial da Seleção Francesa de futebol ocorreu
em 1 de maio de 1904, mas 4 anos antes durante a 2ª Olimpíada da era moderna em Paris um selecionado francês defendeu o país em um torneio de demonstração. Nessa ocasião foi usada a primeira camisa francesa de futebol, toda branca e com o emblema da União das Empresas Francesas de Esportes Atléticos (USFSA) no centro da camisa, o uniforme ainda era composto por calção azul e meias vermelhas. A USFSA era a organizadora de vários esportes francês no início do século XIX, incluindo o futebol. Seu emblema eram dois elos um azul e outro vermelho sobre um fundo branco (cores da bandeira francesa). Este também serviria de inspiração para o emblema dos jogos olímpicos.

Em 1904 um uniforme basicamente igual foi usado na primeira partida oficial, um empate em 3 a 3 contra a Bélgica, a única alteração se deu no emblema que ficou menor e na altura do peito.

O uniforme principal permaneceu inalterado até 1909 quando o futebol francês passou a ser organizado pelo Comité Interfederal Francês. A nova camisa era listrada em azul e branco, tinha o colarinho vermelho e trazia no peito o galo gaulês, símbolo da CFI, o calção era branco e as meias permaneciam vermelhas.

Em 1919, a Seleção Francesa disputou apenas uma partida usando uma estranha camisa listrada em azul vermelho e branco. Neste mesmo ano é fundada a Federação Francesa de Futebol (FFF) e a camisa azul com calção branco e meias vermelhas finalmente se torna o uniforme principal padrão.

Quase 100 se passaram antes que essa combinação sofresse alguma alteração significativa. Até hoje a camisa principal dos “blues” nunca deixou de ser azul, mas a combinação com o calção e as meias tiveram outras duas versões. Na Euro 2012 os franceses usaram um uniforme inteiramente azul e na Euro 2016 o calção foi azul, mas as meias continuaram vermelhas.

 

Segundo Uniforme

A primeira vez que a Franca usou um uniforme reserva foi em 1 de novembro de 1906, contra a Inglaterra que também jogava de branco. A camisa era vermelha, mas o restou era igual ao principal da época: calção azul e meias vermelhas.

Dois anos mais tarde, novamente contra a Inglaterra, os franceses usam um novo uniforme reserva e está foi 1ª vez na história o uniforme pelo qual seriam eternamente reconhecidos: camisa azul, calção branco e meias vermelhas.

Com a fundação da FFF em 2019 o uniforme reserva também ganha cores padrão: camisa vermelha, calção branco e meias azuis. Ele permanece assim até a década de 60 com uma única exceção, no jogo de 23 de maio de 1948 contra a Escócia. Nesse dia os franceses entraram em campo com camisas brancas.

Contudo com o surgimento das transmissões televisivas na década de 60 foi necessário criar um novo uniforme reserva que tivesse mais contraste nas TVs em preto e branco. Dessa forma a camisa branca retorna agora como uniforme reserva. Os calções variaram entre azul e branco e as meias entre azul, vermelho e branco, mas no final desta década ele se estabelece como camisa branca, calção branco e meias vermelhas. Em 1984 as meias passaram a ser brancas e de 94 a 97 o calção também foi branco.

A próxima grande mudança só aconteceu na euro 2008, quando os franceses resgataram a camisa vermelha no uniforme reserva, com calção e meias azuis. Em 2010 o segundo uniforme volta a ser o tradicional e em 2011 uma nova ousadia da Nike; uma camisa listrada em azul e branco, assim como a de 1909, mas agora com as listras na horizontal. Esse uniforme não foi muito bem aceito pelos torcedores e no ano seguinte e ele voltou a ser todo branco. Em 2013 a Nike inovou outra vez e produziu um belo uniforme reserva em azul celestes para Les Blues, depois disso o uniforme tradicional voltou a ser o padrão.

                                        

Terceiro Uniforme e Uniformes especiais

Na década de 70 a Franca usou em algumas oportunidades um terceiro uniforme com a camisa vermelha o calção branco e as meias também vermelhas. Já em 2017 a Nike lançou um polemico terceiro uniforme para a Seleção Francesa. Todo preto e com os detalhes em azul turquesa o resultado ficou muito bonito, mas esse kit nunca foi usado em uma partida oficial.

Um dos casos mais curiosos envolvendo uniformes de futebol ocorreu na Copa de 1978, na partida entre França e Hungria. As duas equipes usavam camisas de cores diferentes, azul e vermelho respectivamente, mas como não haveria muito contraste em uma transmissão televisiva em preto e branco seria melhor que uma das equipes jogasse de branco. O que ocorreu, no entanto, é que ambas as equipes optaram pela camisa branca, e na ausência de outros uniformes na hora da partida a equipe francesa teve de pegar emprestado um jogo de camisas de uma equipe local. A camisa do Club Atlético Kimberley ela listrada em verde e branco com os números em preto. A combinação desta camisa com o calção azul e as meias vermelhas da Seleção Francesa resultou em uns dos kit mais bizarros das Copas.

Para ver a evolução do uniforme da Seleção dos Estados Unidos usado em Copa click na imagem abaixo.

Evolução do Uniforme dos Estados Unidos

Primeiro Uniforme

Já a algum tempo a Seleção do Estados Unidos tem o branco como a base do seu uniforme principal, contudo, isso nem sempre foi claro. O branco já estava presente desde suas primeiras partidas oficiais em 1916 e permaneceu constante até o início da década de 60. Desses primeiros uniformes o mais famoso foi o usado na Copa de 50 quando os norte-americanos chocaram o mundo ao vencer a Inglaterra por 1 a 0 logo na estreia do Mundial.

No final da década de 60 o vermelho se estabeleceu como a cor da camisa principal, mas o padrão não permaneceu rígido. Camisas Azuis e brancas também foram produzidas tanto como camisas reservas quanto terceiras camisas.

Em 1983 a Seleção dos Estados Unidos disputou a liga NASL (principal campeonato do país) com o nome de “Team America”. O objetivo era fortalecer a equipe nacional e popularizar a liga. Mas os dois falharam, sem regularidade de treino e com uma equipe em constante mudança o “time” ficou na parte de baixo da tabela e a liga teve fim no ano seguinte.

O uniforme para esse torneio foi produzido pela Adidas e trazia uma grande novidade. Pela primeira vez era feita referência à Bandeira dos Estados Unidos (com as famosas listras e estrelas). A camisa era listrada na horizontal em vermelho e branco enquanto o calção era azul com estrelas brancas nas laterais. Esse uniforme ficou muito famoso e seria revisitado várias vezes no futuro.

Na sequência o branco volta a compor a camisa principal e o vermelho foi saindo de cena. Tanto que durante os próximos 10 anos os uniformes foram quase que exclusivamente azuis e bancos.

Então veio a Copa do Mundo de 1994 com sede nos Estados Unidos e coube a Adidas produziu uma dupla de uniformes que seria lembrada para sempre. Os dois uniformes ficaram tão bons e capturaram tão bem o espírito Americano que até hoje algumas se questionam qual era o principal e qual era o reserva. O uniforme principal era uma nova referência à bandeira só que desta vez as listras eram verticais e possuíam ondulações. O uniforme reserva era uma grande inovação, a camisa era azul em um tom mais claro com estrelas brancas e o calção era de um vermelho denso e profundo, este belo uniforme ficou ainda mais famoso do que o principal.

Dessa forma glamurosa Adidas e Estados Unidos encerram sua parceria e a partir de 1995 o uniforme Americano passa a ser produzido pela Nike. Nos primeiros anos não surgem grandes novidades e o uniforme principal passou a ser inteiramente branco. Alguns anos depois, em 2002, o kit volta a ter o calção azul e fica assim até 2010.

Para a Copa de 2010 a Nike produziu um uniforme especial inspirado no uniforme usado na Copa de 1950. O uniforme era todo branco, mas na camisa havia uma listra diagonal bem sutil como uma marca d´agua, essa listra diagonal apareceu também nos uniformes reserva e permaneceria por alguns anos.

Em 2012 a Nike produziu uma nova versão de uniforme baseado na bandeira, com calção azul e camisa listrada na horizontal em vermelho e branco, mas ainda assim a camisa trazia a listra diagonal em marca d´água.

No ano seguinte o uniforme volta a ser inteiramente branco e em 2016 ele ganha mangas azuis.

Em 2017 a Nike produziu um uniforme exclusivamente para a Copa Ouro com a camisa listrada na horizontal em azul e vermelho e com calção e meias azuis.

Finalmente em 2018 a Nike produziu um uniforme todo branco, mas ainda assim, com alusão a Bandeira Americana. A camisa branca traz listras horizontais vermelhas, mas que não chegam até o final da camisa e com uma parte azul nas pontas.

Segundo Uniforme

O uniforme reserva dos Estados Unidos também ficou variando entre as três cores da bandeira fugindo deste padrão apenas algumas vezes. Nas primeiras décadas o branco e o azul foram mais usados assim como no uniforme principal.

No final da década de 60 até o meio da década de 80 o uniforme principal passou a ser vermelho e o reserva era branco com detalhes em vermelho. Depois disso o titular voltou a ser branco e o reserva se fixou como azul por vários anos. Em 85 também foi produzido um terceiro uniforme vermelho e em 96 um azul-claro.

No final do milênio o uniforme reserva dos Estados Unidos passou a ser vermelho, mas pouco tempo depois, em 2002, voltou ao azul. Na temporada de 2006 a Nike novamente produziu a “trindade”: Titular branco, reserva azul e terceiro vermelho.

Em 2008 veio a primeira grande inovação, a Nike produziu um uniforme reserva na cor grafite. Algo muito inovador e polemico, pois, era a primeira camisa com uma cor que não estava presente na bandeira Americana.

Na temporada seguinte a “trindade” retornou, mas para a Copa de 2014 a Nike veio com uma nova proposta. O uniforme reserva mantinha as cores da bandeira, mas com uma nova distribuição, ele era basicamente vermelho, mas com a parte dos ombros azul royal e uma listra branca separando as outras duas cores.

Em 2015 o uniforme reserva volta a ser azul, mas agora com um padrão em degrade com vários tons de azul sobrepostos. No ano seguinte a Nike inova mais uma vez e produz um uniforme praticamente inteiro preto apenas com uma manga azul e a outra vermelha e em 2017 o mesmo modelo é mantido, mas agora em tons de vermelho.

O rodízio nas cores continua e em 2018 o uniforme reserva volta a ser azul, agora com listras horizontais em tons mais claros.

Para ver a evolução do uniforme da Seleção dos Estados Unidos usado em Copa click na imagem abaixo.

Evolução do Uniforme da Espanha

Primeiro Uniforme

A Seleção Espanhola de futebol foi criada para representar o país na Olimpíada da Antuérpia em 1920 e desde de suas primeiras partidas usou a camisa vermelha, fato que posteriormente lhe deu o apelido de la Roja.

A primeira camisa tinha no peito um leão rampante amarelo, antigo símbolo do Ducado de Brabante que pertencia à Espanha e onde agora se localizava a Antuérpia. O uniforme ainda trazia calções brancos e meias pretas.

A partir de 1921 o calção azul foi introduzido e a Seleção Espanhola passou a jogar com o símbolo da Real Federação Espanhol costurado no peito até 1936. Nesse período os espanhóis também disputaram algumas partias com camisas brancas.

No ano de 1936 teve início a Guerra Civil Espanhola, período em que o país se dividiu em dois, nacionalista e republicanos. As poucas partidas disputadas ocorreram na “zona nacional”, mas como o vermelho representava os republicanos ele foi abandonado e deu lugar ao branco. Durante a guerra a Seleção Espanhola chegou a usar no peito as flechas da Falange, símbolo do Falangismo (ideologia política radical e principal apoiadora do grupo nacional).

A Guerra chegou ao fim em 1939 com a vitória dos nacionalistas e a camisa passou a ser azul, já que o vermelho era a cor que representava os republicanos. Os calções também mudaram para branco e as meias permaneceram pretas. Outra mudança significativa foi a substituição do escudo da Real Federação Espanhola de Futebol pelo brasão Nacional, mudança que permanece até hoje.

O uniforme permaneceu assim até 1947 quando o Delegado Nacional de Desportos determinou a volta do uniforme original com camisa vermelha e calção azul, e a camisa azul passou a ser usada como uniforme reserva.

Depois disso o uniforme principal da Espanha permanece praticamente inalterado até os dias atuais só variando a cor das meias em algumas ocasiões.

Em 1981ª adidas se torna distribuidora da Seleção Espanhola e realiza algumas pequenas mudanças, ela introduz as três tradicionais listras na manga na cor amarelas e pela primeira vez o logo de uma marca esportiva é estampado na camisa. Além disso, o brasão Nacional também mudou, sai a águia imperial e entra o atual Escudo Espanhol.

Entre 1983 e 1991 a Espanha assina com a empresa francesa Le Coq Sportif, mas nenhuma mudança significativa é feita em seu uniforme principal. Em 1991 a Espanha volta para a Adidas e a parceria permanece até hoje.

Em 1994, pela primeira vez as meias deixam de ser pretas e passam a ser azuis iguais ao calção. A mudança permanece até 2009 quando elas mudam novamente, agora para vermelho e em 2013 os calções também se tornam vermelhos e pela primeira vez os espanhóis tem um uniforme principal inteiramente vermelho. Finalmente em 2015 o calção volta a ser azul e as meias pretas retornando ao uniforme original.

                                                         

Segundo Uniforme

Em suas primeiras décadas a Seleção Espanhola não possuía um uniforme reserva, mas alternada entre a camisa vermelha e a branca. Como a vermelha era mais comum a branca passou a ser considerada a reserva.

Em 1947 quando o uniforme principal retornou às suas cores originais a camisa azul, com calção branco e meias pretas passou a ser usado como uniforme reserva. Essa combinação foi usada inclusive durante a Copa do Mundo de 1950 no Brasil, na partida contra o Chile. Anos depois o calção também passou a ser azul e a única diferença entre o uniforme principal e o reserva passou a ser a cor da camisa.

O uniforme reserva permaneceu assim por várias décadas inclusive quando a Espanha assinou com a Adidas, no entanto pouco antes de terminarem a parceria a Adidas produziu um terceiro uniforme todo branco e com detalhes em vermelho que na verdade nunca chegou a ser usado.

Parece que a ideia agradou e quando a Le Coq Sportif assumiu em 1983 produziu o uniforme reserva dessa mesma forma, branco com detalhes em vermelho. Ainda assim, é difícil se desfazer de algumas tradições e por isso um terceiro uniforme todo azul também foi produzindo. Na verdade, esse se tornou o padrão das décadas seguintes, ter dois uniformes reservas um todo branco e outro todo azul.

Até que em 2005 já com a Adidas novamente apenas a versão branca foi produzida e pouco depois em 2007 finalmente houve uma mudança significativa. A Adidas produziu uma camisa reserva de uma cor entre o dourado e o bege e oficialmente o calção e as meias eram brancos, mas sempre que possível eram usados o calção e as meias azuis do uniforme principal.

Depois disso acabou a mesmice e o uniforme reserva espanhol passou a mudar anualmente. Em 2010 foi todo azul escura e em 2011 todo branco. No ano seguinte mais uma grande mudança a camisa reserva era azul clara com detalhes em azul marino.

Finalmente em 2014 houve a maior alteração já produzido no uniforme espanhol, a adidas produziu um uniforme todo preto com detalhes em amarelo “marca texto”. No entanto a pedido da FIFA (que ficou insatisfeita com as versões, pois queria que as seleções tivessem um kit claro e outro escuro) um terceiro uniforme todo branco foi produzido para o Mundial daquele ano.

Em 2015 o Branco voltou, mas dessa vez a camisa trazia um grande padrão formado por triângulos vermelhos e amarelos, que mesmo parecendo aleatórios, representavam o mapa de calor gerado no gol de Fernando Torres na final da Euro de 2012. No entanto, parece que essa camisa não agradou a todos e apenas 11 meses depois uma nova camisa mais simples e toda branca foi lançada para substituí-la.

Para a temporada atual Adidas produziu uma camisa reserva difícil de definir, a camisa é de um tom de azul muito claro difícil até de distinguir do branco do calção durante o jogo. E os detalhes são de um tom vivo que fica entre o laranja e o pink.

Para ver a evolução do uniforme da Seleção da Espanha usado em Copa click na imagem abaixo.

Evolução do Uniforme da Escócia

Primeiro Uniforme

Em 5 de março de 1872 o Queen’s Park FC, primeiro clube de futebol escocês, disputou sua primeira partida internacional contra a Inglaterra. Apesar da Associação Escocesa de Futebol ter se formado apenas no ano seguinte, esta foi reconhecida como o primeiro jogo disputado pela Seleção Escocesa.

O uniforme usado pelo Queen’s Park FC era a mesma camisa azul-marinho adotada até hoje pelos escoceses com calões brancos e meias na mesma cor da camisa. Contudo, demorou algum tempo até que este se tornassem a primeira escolha regular e várias outras combinações fossem testadas antes da Primeira Guerra Mundial.

Em 1881, os escoceses usaram uma camisa listrada em amarelo e rosa, cores de Archibald Primrose, o 5º Conde de Rosebery, um dos primeiros patronos da FA escocesa. No ano seguinte, a equipe jogou contra a Inglaterra vestindo a camisa azul e branca da equipe de rúgbi Edinburgh Academicals com a adição do escudo escocês no peito. No entanto, eles usaram camisas vermelhas e brancas contra o País de Gales em Hampden ainda no mesmo mês.

A camisa azul marinho retorno em 1883 como o surgimento do Campeonato Britânico (campeonato anual entre os quatro países da Grã-Bretanha que existiu durante cem anos). Nessa versão o tradicional leão vermelho do escudo, foi substituído por um cardo, flor característica da Escócia, mas normalmente associada ao rúgbi.

Na primeira década do século XX o uniforme principal dos escoceses variou entre o tradicional azul-marinho e o alternativo amarelo e rosa. Depois disso ele se manteve praticamente inalterado, mudando apenas a cor das meias que em 1954 passaram a ser vermelhas. Nessa mesma época o uniforme escocês passou a ser produzido pela Umbro eu permaneceu até os anos 2000.

A próxima mudança significativa ocorreu em 1994 quando a Umbro criou um uniforme baseado nos famosos xadrezes escoceses tão presentes nos kilts. Tanto a camisa quanto o calção eram feitos com um xadrez em tons de azul e com detalhes em amarelo, com as meias e as mangas azuis.

Em 1997 as cores tradicionais voltaram e mudaram muito pouco desde então. Passando por Fila, Diadora e Adidas desde 2010, as únicas mudanças forma na cor do calção e das meias que em algumas poucas versões foram azuis.

                 

 Segundo Uniforme

Desde seus primeiros anos a Seleção Escocesa precisou ter um uniforme reserva, isso porque sua vizinha e rival no Campeonato Britânico a Irlanda também usava camisas azuis até o início dos anos 30.

O primeiro uniforme reserva improvisado foi usado em 1902 contra a Irlanda e ela listrado em preto e branco. Alguns anos depois os escoceses estabeleceram a camisa branca como seu uniforme reserva.

No entanto entre 1947 e 1951 a peculiar camisa amarelo e rosa foi usada como uniforme reserva, fazendo sua última aparição em 1951 quando os escoceses venceram a França por 1 a 0.

Depois disso o uniforme voltou a ser composto por camisa branca calção azul e as meias brancas ou azuis. Até que em 1980 as coisas mudaram e o uniforme reserva dos escoceses passou a ser um espetáculo a parte, a criatividade não tinha limites.

Ele foi vermelho, amarelo, cor de rosa, branco com listras amarelas e mesmo quando foi branco tinha detalhes diferentes e extravagantes. Tudo isso ainda com a Umbro.

       

Com a saída da Umbro no ano 2000, a Fila e posteriormente a Diadora produziram uniformes mais conservadores variando entre o branco e o amarelo. Na versão de 2007, uma das mais bonitas na minha opinião, a camisa branca traz um xis em azul-claro no peito em alusão a bandeira escocesa.

Entre os anos de 2005 e 2009 a Diadora também produziu um terceiro uniforme para a Seleção da Escócia, o primeiro foi azul-claro e o seguinte era todo na cor vinho.

             

No ano seguinte a Adidas assumiu e inicialmente manteve a tradição produzindo uma camisa amarela e na temporada seguinte branca. Em 2014, no entanto, a Adidas ousou e desenvolveu uma camisa reserva baseada no amarelo e rosa do Lord Rosebery, mas não foi muito bem aceito. Em 2016 outro modelo inusitado em rosa e preto. E finalmente em 2018 a Adidas retornou à já tradicional camisa amarela.

Para ver a evolução do uniforme da Seleção da Escócia usado em Copa click na imagem abaixo.

Evolução do Uniforme do Egito

Primeiro Uniforme

A Associação Egípcia de Futebol foi fundada em 1921, no entanto a primeira partida oficial disputada por uma Seleção do Egito ocorreu em 28 de agosto de 1920 contra a Itália em valendo pela Olímpiada da Antuérpia na Bélgica. Nessa primeira partida a equipe usou um uniforme listrado em branco e vermelho, cores da então bandeira do Sultanato do Egito.

Pouco depois em 1922 o Egito se tornou um reino, mudando a cor de sua bandeira do vermelho para o verde. O uniforme principal da Seleção Egípcia acompanhou essa mudança e a equipe passou a jogas de camisas verdes, calções brancos e meias pretas. Dessa forma o Egito disputou tanto as Olimpíadas de 24, 28, 36, 48 e 52 quanto a Copa do Mundo de 1934.

A Revolução Egípcia de 1952 gerou novas mudanças políticas no país e uma nova bandeira foi introduzida, a bandeira tricolor da Revolução Egípcia. Esta já possuía a mesma disposição da bandeira atual, uma faixa vermelha, uma branca e outra preta. Desde então o Egito vem adotando seu uniforme principal baseado nestas cores, camisa vermelha calção branco e meias pretas.

                          

Segundo Uniforme

A primeira versão de um uniforme reserva foi usada em 1962 na Copa Africana de Nações. Era um uniforme todo branco com listras horizontais no peito em vermelho e preto.

Em 1990 para a Copa da Itália, a Adidas criou um uniforme reserva com a camisa verde, como uma referência aos uniformes do passado.

Depois disso a camisa reserva voltou a ser branco, até que em 1998 o Egito trocou a Adidas pela Venecia que retornou ao verde. No ano seguinte os egípcios assinaram com a Puma e camisa reserva variou entre o branco e o verde.

        

Então em 2010 para a Copa da África do Sul a Puma criou uniformes reserva diferenciados para as equipes africanas, tanto em cor quanto em modelo. Para os egípcios a empresa alemã confeccionou um uniforme todo bege, em referência as areias do deserto, com pequenas listras em vermelho e branco. Essa foi a única vez até hoje em que o uniforme reserva do Egito não foi branco ou verde.

Em 2012 a Seleção do Egito voltou para a Adidas e a camisa reserva voltou a ser branca.

Para ver a evolução do uniforme da Seleção do Egito usado em Copa click na imagem abaixo.

Evolução do Uniforme de Cuba

Primeiro Uniforme

O uniforme principal Seleção Cubana é tradicionalmente todo branco e o uniforme reserva é inteiramente vermelho, contudo a ordem destes dois uniformes mudou algumas vezes durante a história.

 

 Além disso, em alguns casos houve a mesma dessas duas versões, como na única vez em que Cuba disputou um mundial. Nessa ocasião o uniforme era composto por camisas brancas com calções e meias vermelhas.

Infelizmente por e tratar de uma Seleção sem muita tradição no cenário mundial, existem poucas informações ou até mesmo imagens que permitam uma análise mais profunda sobre a evolução de seu uniforme.

Para ver o único uniforme usado pela Seleção de Cuba em uma Copa click na imagem abaixo.