Irlanda do Norte 1958

A Irlanda do Norte conseguiu se classificar para o seu primeiro Mundial eliminando a Itália e apostando em uma defesa forte.

No entanto, essa conquista quase foi por água abaixo. Para os anglicanos, religião predominante no país, o domingo é considerado o dia do descanso e por isso nenhuma atividade deve ser realizada, nem as atividades esportivas. O time só foi liberado para disputar a Copa depois que o próprio clero anunciou sua bênção.

Devidamente abençoado os irlandeses entraram em campo contra a Tchecoslováquia e na visão de muitos conseguiu um verdadeiro milagre, vencer a forte seleção Tcheca por 1 a 0.

O segundo adversário foi a Argentina, que infernizou a forte defesa irlandesa e conseguiu marcar três vezes. Os europeus até saíram na frente, mas perderam de virada por 3 a 1.

Para fechar a primeira fase os britânicos enfrentaram a poderosa seleção da Alemanha. Os germânicos jogavam pelo empata, mas tomaram a iniciativa do jogo durante toda a partida. Ainda assim, foram os  irlandeses que passaram à frente do placar em dois contra-ataques. No final a Alemanha mostrou sua força e buscou o empate por 2 a 2.

Com esse resultado Irlanda do Norte e Tchecoslováquia terminaram a primeira fase empatados e tiveram que disputar uma partida desempate. Os especialistas diziam que o mesmo raio não cairia duas vezes no mesmo lugar e que os irlandeses não teriam chances dessa vez. Tudo seguia o roteiro quando o goleiro reserva falhou e os tchecos saíram na frente, mas a Irlanda do Norte conseguiu buscar e segurar o empate até o final da partida. Já na prorrogação eles conseguiram marcar mais uma vez vencendo por 2 a 1 e contrariando a todas as expectativas.

Nas oitavas o adversário foi a França, dona de um poderoso ataque. Os irlandeses estavam exaustos, vindos de uma partida desempate com prorrogação dois dias antes. Além disso, o goleiro titular estava machucado e teve que jogas no sacrifício, pois o reserva estava ainda pior. Com tudo isso os franceses não tiveram problemas em passar por cima dos irlandeses vencendo por  4 a 0. Dessa forma a Seleção da Irlanda do Norte foi eliminada de seu primeiro Mundial ocupando a honrosa 7ª colocação.

A ilha da Irlanda é conhecida como ilha esmeralda isso por que, com seu clima único, a natureza está sempre muito verde. Por esse motivo também o verde se torno a cor símbolo do país e tanto a Irlanda do Norte quanto a sua vizinha do Sul usam camisas verdes em seus uniformes. Completa o kit o calção branco e a meias também verdes.

PRIMEIRO UNIFORME

Os goleiros Harry Gregg e Norman Uprichard usaram camisas amarelas nesse mundial.

UNIFORME DE GOLEIRO

Iugoslávia 1958

A Iugoslávia chegou à Copa de 58 com uma equipe envelhecida, mas que ainda mantinha o vigor do Mundial anterior. Vigor inclusive que chegava à brutalidade em alguns momentos.

 Para a estreia contra a Escócia os iugoslavos esconderam dois titulares durante os treinos. A arma secreta funcionou e os eslavos conseguiram abrir o placar, mas na segunda etapa os escoceses empataram e a partida terminou 1 a 1.

O segundo jogo foi contra a forte Seleção Francesa, que apesar de mostrar um futebol mais agradável, enfrentou muitas dificuldades contra o jogo bruto da Iugoslávia.  A França abriu o placar logo no início da partida, mas os iugoslavos conseguiram a virada no finzinho do jogo, vencendo por 3 a 1.

Com uma vitória e um empate os iugoslavos precisavam apenas de um empate contra o Paraguai na última partida para se classificarem para a próxima fase.  Os sul-americanos que precisavam vencer tentaram usar sua principal arma na partida, a violência, mas os europeus tinham as mesmas armas e elas praticamente se anularam. Ainda assim, a partida teve muitos gols e mesmo com a Iugoslávia passando a frente três vezes os paraguaios conseguiram igualar o marcador. Com o empate e 3 a 3 a Iugoslávia passou à próxima fase.

Assim como em 54, a Iugoslávia chegou as 4ª de final e por uma dessas coincidências da vida e do futebol o adversário novamente foi a Alemanha e para a tristeza dos iugoslavos as coincidências não pararam por aí. Novamente os alemães abriram o placaram no início do jogo e passaram o resto do jogo usando a cabeça para impedir as jogadas areias propostas pela Iugoslávia. A única diferença foi que dessa vez, apesar de acertar a trave dos iugoslavos algumas vezes, o placar ficou em apenas 1 a 0 para a Alemanha.  Com a derrota a Iugoslávia terminou o Capo de 1958 na 8ª Colocação.

Nessa Copa a Seleção Iugoslava usou sem uniforme tradicional, camisa azul com o logo da chama vermelha no peito, calção branco e meias vermelhas.

PRIMEIRO UNIFORME

Esse uniforme foi usado nas partidas contra Escócia, Paraguai e Alemanha.

SEGUNDO UNIFORME

O uniforme principal foi usado em quase todas as partidas com exceção de uma em que a camisa azul foi substituída pela camisa branca. Com esse uniforme alternativo a Iugoslávia conquistou sua única vitória nesse Mundial, na partida contra a França.

UNIFORME DE GOLEIRO

Os goleiros Vladimir Beara e Srboljub Krivokuća usaram uniformes negros nessa Copa, como era tradicional para os goleiros iugoslavos.

Evolução Uniforme da Indonésia

Primeiro Uniforme

A primeira partida disputada pela Seleção Indonésia ocorreu em 1934 com uma incrível vitória de 7 a 1 contra o Japão. Nessa época o país ainda era uma colônia holandesa recebia o nome de Índias Orientais Holandesas.Indias Holandesas-1 38 C

Com esse nome ainda, os indonésios disputaram a Copa de 1938 entrando para a história com duas marcas. Eles foram a primeira Seleção asiática a disputar uma Copa do Mundo e são a única seleção da história a disputar apenas uma partida do Mundial, derrota por 6 a 0 para a Hungria.

A Indonésia só conquistou sua independência após o término da II Guerra Mundial e durante o período de colonização não existem muitas informações sobre os uniformes usados. O único registro é exatamente a derrota para a Hungria no Mundial de 38. São fotos em preto e branco que dificultam a definição das cores, mas alguns documentos não oficiais afirmam que o uniforme era composto por camisa laranja, calção branco e meias azuis (assim, como o holandês).

All+smiles+from+India+after+their+football+win+Picture+from+the+official+reportCom a independência a Indonésia passou a usar as cores de sua nova bandeira o vermelho e o branco, contudo alguns relatos contam que no início dos anos 50 eles jogaram com camisas verdes. Existem algumas fotos que também sugerem que os indonésios usaram uma camisa quadriculada em vermelho e branco (em referência ao seu brasão) durante um tempo.

Depois disso o uniforme titular passou a ser inteiramente vermelho e com o passar dos anos o calção passou a ser branco.

               gettyimages-2790324-2048x2048    gettyimages-75302519-2048x2048    gettyimages-51079535-2048x2048   gettyimages-51271938-2048x2048

Em 2012 a Nike lançou uma camisa com detalhes em verde fazendo uma referência histórica a camisa usada na década de 50 e manteve esse padrão desde então.

                                    indonesia home 12 mw andik-500x500                    gettyimages-832053220-612x612

No entanto em 2020 a empresa local Mills Sport produziu um uniforme indonesia-2020-2021-mills-sport-home-kit-8com um estilo mais limpo sem muitos detalhes e preservando apenas o vermelho e branco da bandeira nacional.

Segundo Uniforme

gettyimages-52490200-2048x2048

O uniforme reserva dos indonésios sempre foi tradicionalmente branco com detalhes em vermelho e com o calção variando entre branco e vermelho, assim como o calção titular. Contudo, o verde que apareceu na camisa titular apenas em 2012 deu as caras no uniforme reserva muito antes disso. Em 2000 a adidas laçou uma camisa verde para a Indonésia com o mesmo template usado pela França na Copa de 98.

football_shirt_40482_1_500x486x1

Depois disso a camisa reserva voltou a ser branca, mas o verde passou a ser constante nos detalhes e no calção.

                                                     gettyimages-75462849-2048x2048                              1370674326 B

Para ver a evolução do uniforme da Seleção da Holanda em Copa click na imagem abaixo.Indonesia

Tchecoslováquia 1958

A Tchecoslováquia havia, até então, disputados todas as Copas realizadas em solo europeu e em 58 não foi diferente. Depois de passar por País de Gales e Alemanha Oriental os tchecos chegaram ao seu quarto Mundial tentando apagar a péssima campanha na Copa anterior.

Na estreia os tchecos enfrentaram a Seleção da Irlanda do Norte, considerada a mais fraca do grupo. No entanto, o jogo foi muito duro e sem muitas chances e para a surpresa te todos a Seleção Tcheca foi derrotada por 1 a 0 com um gol marcado ainda no início do primeiro tempo.

Se o primeiro adversário foi o mais “fraco” do grupo o segunda era uma verdadeira pedreira, a Alemanha era a atual campeã e novamente uma das favoritas ao título. Os alemães começaram dominando o jogo e perderam algumas chances claras de gol, mas com o passar do tempo os tchecos foram se sentindo mais à vontade na partida e em dois contra-ataques conseguiram abrir dois a zero no placar, ainda na primeira etapa. No seguindo tempo, porém a pressão germânica foi ainda maior e eles conseguiram empatar o jogo que terminou 2 a 2.

O grupo chegou na última rodada embolado e indefinido. A vitória da Alemanha sobre a Irlanda do Norte era dada como certa e sendo assim, o vencedor do duelo entre Argentina e Tchecoslováquia se classificaria para a próxima fase. Os tchecos, até então na última colocação do grupo, não pareciam dispostos as perder essa derradeira chance, aproveitando de muitas falhas dos defensores argentinos eles abriram três gol de diferença ainda no primeiro tempo e terminaram a partida com uma sonora goleada por 6 a 1.

Dessa forma a Seleção Tcheca fez a sua parte, mas para a surpresa geral os irlandeses conseguiram segurar o empate contra a Alemanha. Com isso as Tchecoslováquia e Irlanda do Norte terminaram empatadas, ambas com uma vitória um empate e uma derrota, e por isso tiveram que disputar uma partida desempate.

Depois da goleada sobre a Argentina os tchecos chegaram com moral para o duelo, mesmo com a derrota no primeiro confronto. Aos 19 minutos do primeiro tempo eles abriram o placar, mas novamente contrariando as expectativas os irlandeses buscaram o empate no final do primeiro tempo, a virada no início do segundo e seguraram o resultado de 2 a 1 até o final. Com a derrota a Tchecoslováquia foi eliminada do Mundial ainda na primeira fase e ocupando a 10ª posição.

Nesse Mundial os tchecos usaram quatro combinações deferentes de uniformes um em cada partida. O uniforme titular era composto por camisa e calção branco e as meias listradas em branco, vermelho e azul, (típicas dos tchecos nesse período) esse uniforme foi usado na estreia contra a Irlanda do Norte.

PRIMEIRO UNIFORME

Já na partida contra a Argentina eles usaram esse mesmo uniforme, mas com as meias brancas.

UNIFORME ALTERNATIVO

Contra a Alemanha os Tchecos usaram o seu uniforme reserva, com a camisa vermelha o calção branco e as meias listradas.

SEGUNDO UNIFORME

E no jogo desempate contra a Irlanda do Norte eles usaram o uniforme reserva, mas com as meias brancas.

UNIFORME ALTERNATIVO

O goleiro Břetislav Dolejší usou um uniforme todo negro em todas essas partidas.

UNIFORME DE GOLEIRO

Hungria 1958

O time húngaro que chegou à Copa de 1958 não era nem sombra da equipe que encantou o mundo 4 anos antes chegando à final da Copa e perdendo de forma surpreendente.  O principal motivo foi a invasão Soviética ocorrida nesse meio tempo.

Mesmo conquistando a classificação com facilidade nas eliminatórias, passando por Noruega e Bulgária, a Seleção Húngara tinha muito para provas durante a Copa. O primeiro adversário foi o País de Gales, e os húngaros animaram quando saíram na frente do placar, mas os galeses conquistaram o empate abusando do jogo aéreo e a partida terminou 1 a 1.

O segundo adversário foi a dona na casa Suécia, e tudo parecia estar contra a Hungria nessa partida e isso incluía o arbitro e até mesmo o seu zagueiro Berende que entregou um gol de graça para a Suécia abrir o placar. Depois disso os húngaros partiram para o ataque e quase empataram, mas ainda tomaram o segundo gol antes de conseguir diminuir. A derrota por 2 a 1 complicava muita suas chances nesse Mundial.

Contudo os húngaros viram suas chances renasceram com o empate entre Suécia e País de Gales e partiram com tudo para cima do México seu terceiro adversário. A seleção Húngara chegou a lembrar a equipe de 54 e passou por cima dos mexicanos, vencendo por 4 a 0 e poderia ser ainda mais.

Dessa forma Hungria e País de Gales tiveram que disputar um jogo extra e dessa vez os húngaros eram vistos como os grandes favoritos. Animados com o êxito da partida anterior a Seleção Húngara partiu para o ataque e conseguiu abrir o marcador ainda no primeiro tempo. No entanto, contrariando os prognósticos os galeses conseguiram o empate no início do segundo tempo e a virada nos 15 min finais da partida. Com a derrota por 2 a 1 a Hungria dava adeus a Copa e a uma era de ouro de sua história.

Nessa Copa a Seleção Húngara entrou em campo com algumas variações do seu uniforme. O uniforme titular tradicional com camisa grená, calção branco e meias verdes foi usado apenas na partida contra Suécia

PRIMEIRO UNIFORME

Já na partida contra o México os húngaros usaram esse mesmo uniforme porém com as meias brancas.

UNIFORME ALTERNATIVO

E o também tradicional uniforme reserva, todo branco com faixas horizontais vermelha e verde no peito, formando a bandeira nacional. Esse uniforme foi usado nas duas partidas contra o País de Gales.

SEGUNDO UNIFORME

O goleiro Grosics usou um uniforme todo negro em todas as partidas.

UNIFORME DE GOLEIRO

Inglaterra 1958

A Inglaterra chegou ao seu terceiro mundial assombrado por uma tragédia. Em fevereiro de 1958 um acidente aéreo vitimou 8 jogadores do Manchester United, que formava a base da seleção, incluindo os craques do time Duncan Edwards e Tommy Taylor.

Ainda em luto os ingleses caíram no grupo D junto com Brasil, Áustria e União Soviética. A estreia foi contra os soviéticos que tinham um futebol científico e não guardavam posição, quando os ingleses finalmente entenderam o que estava acontecendo já perdiam por dois gols. Depois disso eles passaram o resto do jogo cruzando a bola na área e conseguiram diminuir de cabeça e depois empatar com um pênalti mal marcado.

A segunda partida foi contra o Brasil, que conseguiu se defender bem do jogo aéreo inglês. Por outro lado, o goleiro inglês McDonald conseguiu segurar o ataque brasileiro com boas defesas. Dessa forma uma partida terminou 0 a 0 pela primeira vez na história das Copas.

Depois de dois empates bastava ao English Team vencer a Áustria, que vinha de duas derrotas, para se classificar para a segunda fase da Copa. No entanto, os ingleses não contavam com a pontaria austríaca que passou a frente do marcador, por duas vezes, com chutes de longa distância. Os britânicos ainda conseguiram buscar o empate e a partida terminou 2 a 2.

Com esse resultado, Inglaterra e União Soviética ficaram empatados na segunda posição do grupo e, como não havia critério de desempate, tiveram que disputar uma nova partida.  O jogo foi tenso e disputado, os soviéticos dominaram o primeiro tempo e os ingleses o segundo, mandando duas bolas na trave e tendo um gol anulado. Ainda assim, justamente quando estava sendo dominada a União Soviética conseguiu marcar o único gol da partida e venceu por 1 a 0.

Com esse resultado a Inglaterra, que no início da temporada de 1958 sonha com o título mundial, foi eliminada ainda na primeira fase e terminou o mundial na 11ª posição.

Nesse mundial os ingleses usaram o seu uniforme tradicional  (camisa branca calção azul e meias vermelhas) em todas as partidas.

PRIMEIRO UNIFORME

O goleiro McDonald uso uma camisa amarela nas duas partidas conta a União Soviética e, como era tradição nas equipes britânicas, o complemento do uniforme seguia o dos jogadores de linha.

UNIFORME DE GOLEIRO

Nas partidas contra o Brasil (que usava um uniforme amarelo) e contra Áustria (cujo goleiro também usava uniforme amarelo) o goleiro inglês usou uma camisa aparentemente verde ou azul.

SEGUNDO UNIFORME DE GOLEIRO

Evolução Uniforme da Hungria

Primeiro Uniforme

No início do século XX a Hungria ainda pertencia ao Império Austro-húngaro, mas as constantes e frustradas tentativas de independência lhe renderam ao menos alguma autonomia. Entre elas a formação de uma equipe nacional de futebol.

A primeira partida realizada pela Seleção Húngara de futebol foi, obviamente, contra a sua “irmã” a Seleção Austríaca, em Viena no dia 12 de outubro de 1902. Essa foi umas das primeiras partidas entre seleções não britânicas e o resultado foi uma vitória esmagadora dos austríacos por 5 a 0.

Os húngaros usam a mesma composição de uniforme desde sua primeira partida, camisa vermelho escuro, calção branco e meias verdes, em uma clara representação da bandeira nacional. Desde 1902 as únicas mudanças foram nos tons de vermelho e verde, um pouco mais claros ou escuro.

                                  

Historicamente a única alteração significante no uniforme ocorreu no emblema carregado no peito. Ao contrário da maioria das seleções, os húngaros estampam na camisa o brasão de armas do país e não o símbolo da federação. Por isso, sempre que ele mudou na política, mudou também na camisa.

O Brasão de Armas tradicional da Hungria conhecido como Kossuth foi usado desde a primeira partida até hoje, com exceção dos anos entre 1949 e 1989, período em que a Hungria se tornou uma nação comunista. Nessa época eles passaram a adotar outro Brasão de Armas com referências comunistas, inicialmente o chamado Rákosi-Címer formado por um martelo e um trigo cruzados sob uma estrela vermelha.  Em 1956 o martelo e o trigo foram substituídos por um escudo comas cores da bandeira formando o Kádár-Címer. Finalmente, em 1990 com a queda do governo comunista o Brasão retornou ao inicial.

         

Segundo Uniforme

O uniforme reserva dos húngaros é inteiramente branco com detalhes em vermelho e verde, e também não sofreu grandes alteração além das mudanças no emblema. Ainda assim, houve um longo período, da década de 10 até a década de 50 que eles usaram no peito faixas horizontais, vermelhas, brancas e verdes formando a bandeira húngara. Depois disso a camisa passou a ser inteiramente branca.

Como o calção dos uniformes principal e reserva é o mesmo (branco), sempre que necessário a Seleção Húngara utiliza uma segunda versão vermelha, no mesmo tom da camisa.

 

Para ver a evolução do uniforme da Seleção da Holanda em Copa click na imagem abaixo.

Paraguai 1958

Em 1958 o Paraguai disputou o seu terceiro Mundial, mas o primeiro fora da América do Sul. A classificação veio diante da poderosa Seleção Uruguaia e com uma surpreendente goleada de 5 a 0. Ainda assim, os paraguaios não eram vistos como uma força para a Copa.

A estreia foi contra a Seleção Francesa, e quem olha o resultado, 7 a 3 para os franceses não tem a ideia correta do que foi o jogo. Os sul-americanos abriram o placar e depois de tomar a virada voltaram à frente do marcador fazendo 3 a 2. Semente depois de perder o meia Parodi e ficar com um a menos é que os franceses conseguiram a vitória.

Na segunda partida, contra a Escócia, os “Guaraníes” engrossaram ainda mais o jogo e, mesmo confundindo valentia com violência em vários momentos, conquistaram a vitória por 3 a 2.

Eles chegaram ao último jogo da primeira fase precisando vencer a Iugoslávia para passar à próxima fase, aos europeus bastava o empate. A tática foi a mesma, muita vontade, violência e pontapés, mas desta vez o adversário possuía as mesmas armas e o resultado consequentemente foi o empate. Os iugoslavos passaram a frente 3 vezes, mas os paraguaios sempre buscaram o empate, marcando o 3 a 3 aos 45 min do segundo tempo.

Apesar de eliminado na primeira fase, da goleada para a França, da violência exagerada e da 12ª colocação geral, a Seleção Paraguaia disputou uma Copa muito digna. Longe de ser o saco de pancada esperado, eles conseguiram endurecer a partida contra adversário poderosos, marcando 9 gols em 3 jogos, conquistando um empate e uma vitória.

Assim como na Copas anteriores o Paraguai usou seu uniforme tradicional em todas as partidas. Calção azul e camisa listrada em vermelho e branco, a única diferença foram as meias que nesse Mundial foram brancas com detalhe superior em vermelho.

PRIMEIRO UNIFORME

 

Na primeira partida, contra a França, o goleiro Ramón Mayeregger usou um uniforme todo negro, mas depois de tomar 7 gols na estreia ele foi substituído pelo reserva Samuel Aguilar. Aguilar usou esse mesmo uniforme na partida contra a Iugoslávia.

UNIFORME DE GOLEIRO

No entanto, contra a Escócia o goleiro paraguaio usou uma outra versão, com uma camisa cinza e a inscrição “PARAGUAY” no peito.

SEGUNDO UNIFORME DE GOLEIRO

Argentina 1958

Em 1958 “Nuestros Hermanos” estavam de volta a uma Copa. 24 anos aviam se passo desde a última participação da Seleção Argentina em Mundiais, quando disputou um único jogo na Copa de 1934.

Nas eliminatórias os argentinos passaram por Bolívia e Chile, e no Mundial caíram no grupo da então campeã Alemanha, da britânica Irlanda do Norte e da sempre consistente Tchecoslováquia.

A estreia foi contra a Alemanha e o primeiro problema veio antes mesmo da bola rolar. Portenhos e germânicos tinham uniforme muito parecidos e mesmo com as listras celestes o arbitro pediu para que os argentinos usassem uma camisa alternativa. Como eles não tinha um, a solução foi pegar emprestado a camisa de um time loca, o IFK Malmö. Por um desses acasos do destino a camisa da equipe sueca era amarela e a Seleção Argentina não deve outra escolha senão estreias na Copa de 58 usando a “amarelinha” do seu arquirrival Brasil.

No jogo os argentinos abriram o placar logo no início, mas tomaram o revés perdendo por 3 a 1. O jogo seguinte foi contra a Irlanda do Norte e nessa partida a situação se inverteu, os “Hermanos” saíram a trás do marcador, mas venceram por 3 a 1.

O grupo chegou embolado na última rodada e uma vitória sobre a Tchecoslováquia garantiria a Argentina na segunda fase. Contudo a partida foi um verdadeiro passeio dos tchecos, a zaga argentina falhou muito e os eslavos abriram 3 a 0 ainda no primeiro tempo e no final venceram por 6 a 1. Com essa derrota a Argentina não se classificou para a segunda fase e terminou o Mundial na 13ª colocação.

Nessa Copa a argentina usou seu uniforme tradicional com calção e meias pretas e a camisa listrada em branco e azul celeste apenas nas duas últimas partidas, contra Irlanda do Norte e Tchecoslováquia.

PRIMEIRO UNIFORME

  

Mas como já foi dito, na estreia contra a Alemanha os argentinos improvisaram a camisa amarela do IFK Malmö com o calção e as meias pretas.

UNIFORME ALTERNATIVO

O goleiro argentino Amadeo Carrizo usou um uniforme composto por camisa amarela com calções e mais pretas.

UNIFORME DE GOLEIRO

Mas esta camisa também só foi usada nas partidas contra Irlanda do Norte e Tchecoslováquia. Isso por que no jogo contra a Alemanha os jogadores de linha já estavam de amarelo, então o goleiro também improvisou um camisa, preta com gola e mangas brancas e sem número.

UNIFORME DE GOLEIRO ALTERNATIVO

Escócia 1958

Os escoceses chegaram ao seu segundo Mundial com moral depois de eliminar a poderosa Espanha nas eliminatórias, mas caíram em um grupo forte com França, Iugoslávia e Paraguai (ainda que este último não botasse medo em ninguém.

A estreia foi contra a Iugoslávia que abrio o placar ainda no primeiro tempo. O time do leste europeu continuou pressionando, mas em um dos poucos ataques a Escócia empatou e segurou o resultado de 1 a 1 até o fim.

O próximo adversário seria o Paraguai, e a equipe gaélica esperava vencer com facilidade. No entanto eles não estavam preparados para a forma de jogo paraguaia. No primeiro tempo o futebol prevaleceu e os sul-americanos abriram 2 a 1, mas no segundo tempo a partida virou uma verdadeira guerra, entre uma agressão e outra cada equipe marcou um gol e foi só. Os escoceses sofreram com a violência do adversário e não perderam apenas a partida por 3 a 2, mas também seis jogadores para o jogo seguinte.

A última partida foi contra a França e os escoceses precisavam vencer para manter a esperança de classificação. As franceses que só precisavam de um empate, mas pressionaram e abriram 2 a 0 no primeiro tempo. No segundo os escoceses conseguiram diminuir, no entanto com o desgaste e os desfalques gerados na partida anterior, eles não conseguiram buscar o empate, sendo eliminados ainda na primeira fase. Com essa campanha de 1 empate e 2 derrotas a Seleção da Escócia teve uma das piores campanhas dessa Copa, terminando na 14ª colocação.

A Seleção da Escócia usou combinações de uniforme diferentes em todas as partidas que disputou. O uniforme principal com camisa azul escura, calção branco e meias azuis foi usado apenas na partida contra o Paraguai.

PRIMEIRO UNIFORME

    

Nas outras duas partidas os escoceses usaram seu uniforme reserva, camisa branca e calção azul. A única diferença foram as meias, contra a Iugoslávia eram vermelhas e contra a França azuis.

SEGUNDO UNIFORME

Como já escrevi algumas vezes, nessa época os goleiros de origem britânica costumavam usar calções e meia iguais aos dos jogadores de linha mudando apenas a camisa. Foi assim em todas as partidas desta copa, no jogo contra o Paraguai o goleiro Tommy Younger jogou com camisa amarela, calção branco e meias azuis.

UNIFORME DE GOLEIRO

Na estreia ele usou a camisa reserva que provavelmente era verde, com o calção azul e as meias vermelhas como os jogadores de linha. Já na última partida quem jogou foi o goleiro reserva Willie Brown, pois Younger se lesionou na partida contra o Paraguai, a única mudança foram as meias azuis iguais aos jogadores de linha.

SEGUNDO UNIFORME DE GOLEIRO