Alemanha 1958

A Alemanha chegou à Copa de 1958 com status de Campeã mundial e por isso, não precisou disputar as eliminatórias. Ainda assim, o time titular tinha apenas três remanescentes do milagre de Berna (Final da Copa de 54 em que a Alemanha venceu a Hungria, contra todas as expectativas), entre eles os astros Helmut Rahm e  Fritz Walter.

A estreia foi contra a Argentina, mas o jovem time alemão ainda estava se aquecendo na partida quando os sul-americanos marcaram o primeiro gol, com apenas 3 minutos de jogo. Depois disso o time recuperou o folego e partiu para o ataque, quando o primeiro tempo acabou os germânicos já venciam por dois a um. No segundo tempo eles ainda tiveram tempo para marcar novamente, vencendo a partida por 3 a 1.

Na segunda partida os alemães entraram em campo muito mais ligado e antes dos 20 minutos tempo já tinham acertado uma bola na trava, o goleiro Doljsi já havia feito uma grande defesa e um zagueiro tcheco tinha salvado uma bola em cima da linha. Contudo, depois disso o contra-ataque da Tchecoslováquia deu resultado e eles conseguiram marcar duas vezes no primeiro tempo. Na segunda etapa a Alemanha pressionou ainda mais e conseguiu buscar o empate em 2 a 2.

O último adversário da primeira fase foi a Irlanda do Norte e novamente os alemães saíram atras do placar, mas dessa vez eles conseguiram empatar logo na sequência. Na segunda etapa o filme se repetiu, os irlandeses marcaram mais uma vez e os germânicos empataram em 2 a 2. Isso foi o suficiente para eles passarem para a próxima fase em primeiro lugar do grupo.

Nas quartas, assim como em 54, o adversário foi a Iugoslávia. E o jogo parecia ser uma continuação da mesma partida quatro anos depois. A Iugoslávia com um futebol mais técnico e criativo e a Alemanha com seu futebol mecânico e pragmático, novamente quem decidiu o jogo foi Helmut Rahm. A única diferença é que dessa vez a Alemanha venceu por apenas 1 a 0.

Os alemães chegaram como favoritos na semifinal, mas o adversário seria a Suécia, a dona da casa. O jogo foi intensamente disputado, mas claramente os anfitriões contaram com uma ajuda significativa do arbitro húngaro Istvan Szolt.  Quando o jogo ainda estava empatado o juiz não marcou um pênalti em Rahn, contudo, pouco depois os germânicos conseguiram abrir o placar. Ainda no primeiro tempo o árbitro ignorou um toque na mão do atacante sueco Nils Liedholm e no mesmo lance eles conseguiram empatar. No início da segunda etapa os jogadores Hamrin da Suecia e Juskowiak da Alemanha, se desentenderam e partiram para a agressão, mas o juiz expulsou apenas o alemão. Aos 30 minutos foi a vez de Fritz Walter ser agredido e ficar praticamente inutilizado para o jogo, com dois a menos a Alemanha não conseguiu resistir a intensidade sueca e tomou dois gols nos últimos 10 minutos da partida, perdendo por 3 a 1. A violência vista nesse jogo mobilizou a FIFA a iniciar a campanha do fair play em Copas.

Na decisão de 3º e 4º os alemães, com um time misto, foram derrotados pela França com uma chuva de gols e um show de Fontaine, 6 a 3 foi o placar.

A Seleção Alemã usou apenas um uniforme nas 6 partidas que disputou nessa Copa, a tradicional combinação de camisa branca com calção preto e as meias que até então também eram pretas.

PRIMEIRO UNIFORME

Os goleiros Fritz Herkenrath e Heinz Kwiatkowski usaram um uniforme todo negro no Mundial, também tradicional da Alemanha até então.

UNIFORME DE GOLEIRO

País de Gales 1958

Em 1958 o País de Gales realizou sua primeira e única Copa do Mundo. Apesar da honrosa e surpreendente 5ª colocação, o que mais chama a atenção é a forma como eles chegaram ao Mundial.

Tudo começa nas eliminatórias Asiáticas, que seria disputada entre 8 países em sistema de mata-mata e apenas o vencedor se classificaria para o Mundial. No entanto, todos os países que seriam adversários de Israel foram se recusando a disputas as partidas e dessa forma os israelenses se classificaram para a Copa sem nem entrar em campo. Temendo mais reações e protestos político durante a Copa, a FIFA inventou uma repescagem contra uma seleção europeia.

Os galeses ficaram em segunda no grupo 4 das eliminatórias europeias e apenas o primeiro colocado de cada grupo se classificava. No entanto, todos os segundos colocados das eliminatórias europeias, foram convidadas a participar dessa nova repescagem. Com a recusa da Bélgica, 8 seleções participaram de um sorteio que classificou Gales para essa repescagem em sistema de ida e volta.

Com duas vitórias de 2 a 0 sobre Israel e um caminho bem atípico, os galeses se classificaram para a Copa de 1958.

Gales chegou à Copa com uma Seleção baseada na defesa e com pouco poder ofensivo. Na estreia o adversário foi a Hungria, que não tinha o mesmo poder de outrora, mas ainda assim o empate em 1 a 1 foi visto como um bom resultado. Já na segunda partida um novo empate em 1 a 1 com a Seleção do Mexico foi considerado um desastre. Fechando a primeira fase o adversário foi a Suécia que já estava classificada. Com a incapacidade ofensiva dos galeses e a falta de interesse dos suecos a partida terminou 0 a 0.

Com os três empates, Gales empatou em pontos com a Hungria e eles precisaram disputar mais uma partida. Os húngaros saíram na frente, mas os britânicos conseguiram virar a partida no segundo tempo e conquistaram uma surpreendente classificação para as quartas de final.

Na segunda fase o adversário foi o Brasil. Para essa partida os galeses perderam o atacante John Charles de 1,88m e com ele sua principal jogada, a bola aérea. O Brasil também tinha o desfalque do seu atacante Vavá, mas contava com um jovem de apenas 17 capaz de desequilibrar qualquer partida. O jogo foi um verdadeiro duelo entre a ataque brasileiro e a defesa galesa e apenas aos 28 do segundo tempo, em um lance genial, Pelé conseguiu abrir o placar, marcando o seu primeiro gol com a camisa da Seleção Brasileira em Copas do Mundo.

Apesar da Bandeira galesa ser predominantemente verde e branca o uniforme carrega a cor do dragão vermelho galês, um dos símbolos nacionais mais antigos do mundo. O uniforme principal composto por camisa vermelha, calção branco e meias vermelhas foi usado em 4 das 5 partidas dessa Copa

PRIMEIRO UNIFORME

A exceção foi exatamente a estreia, contra a Hungria, em que os galeses usaram sua camisa reserva, que tradicionalmente e amarela com detalhes em verde.

SEGUNDO UNIFORME

O goleiro Jack Kelsey usou duas camisas diferentes nesse Mundial, uma verde e outra amarela, mas com a tradição britânica dos goleiros usaram sempre os mesmos calções e as meias dos jogadores de linha ele acabou usando três combinações diferentes nessa Copa.

UNIFORME DE GOLEIRO

UNIFORME DE GOLEIRO ALTERNATIVO

SEGUNDO UNIFORME DE GOLEIRO

TOP 10 – Combinação mais usada

A final da Copa do mundo de 2018 foi o 900º jogo da história das Copas do Mundo. Nessa história já foram usadas 127 combinações diferentes de uniformes, desde os mais simples compostos por uma única cor aos mais excêntricos como por exemplo a camisa verde com calção preto e meias vermelha do México 2014 ou camisa listrada em verde e branco com calção azul e meia vermelha da Franca em 1978.

Nesse Top10 eu listei as combinações de uniforme mais usados. Para essa lista eu considerei apenas matizes sem distinguir os tons, ou seja, o azul celeste da Seleção Uruguai e o Azul marinho da Escócia entram na mesma classificação “azul”, assim como camisas grenás ou vinho foram classificadas como “vermelhas”.

As Copas mais antigas não possuem imagens coloridas e por isso em alguns casos a cor dos uniformes são apenas suposições, algumas muito confiáveis como as camisas da França (que sempre foram azuis) e outras mais polemicas como as usadas pela Romênia na década de 30. Contudo mesmo que exista algum erro nessas interpretações isso não seria suficiente para mudar a ordem das cores mais usadas.

Para ver a lista de cores de camisa mais usada na história das Copas click na imagem abaixo.

União Soviética 1958

Em 1958 a União Soviética, do lendário goleiro Lev Yashin ( O “Aranha Negra”), estreava em Copas do Mundo.

Seu primeiro adversário foi de cara a Inglaterra, a “inventora” do futebol. A Seleção Soviética era uma equipe desconhecida e surpreendeu os britânicos com um jogo em que não marcava posição. Quando eles começaram a entender a dinâmica do jogo já estavam perdendo por dois gols. Ainda assim, os ingleses buscaram o empate em 2 a 2 no segundo tempo.

Na segunda partida a adversaria foi a Áustria e então o “Aranha Negra” brilhou mais do que nunca pegando até pênalti e segurando o ataque austríaco. Os soviéticos por sua vez marcaram duas vezes conquistara a vitória por 2 a 0.

Na terceira partida da primeira fase os Soviéticos enfrentaram a Seleção Brasileira e assistiram de perto o surgimento de uma dupla que mudaria para sempre a história do futebol brasileiro. Nem mesmo o excepcional Yashin foi capaz de segurar Pele e Garrincha que estreavam em Copas pelo Brasil. O jogo terminou 2 a 0 para o Brasil com dois gols de Vavá.

Com a derrota a União Soviética precisou disputar uma partida desempate contra a Inglaterra. Os Soviéticos dominaram o primeiro tempo, mas o placar permaneceu inalterado. Contudo, na segunda etapa quando a Inglaterra estavam melhor na partida os soviéticos conseguiram marcar e depois disso se fecharam e contaram com Yashin para manter o placar em 1 a 0.

 Nas oitavas o adversário foi a dona da casa. A Suécia, além de contar com o apoio da torcida ainda era favorecida pelo fado dos soviéticos terem disputado uma partida desempate muito desgastante contra a Inglaterra. Sem forças para enfrentar o ataque sueco os soviéticos foram vencidos por 2 a 0, finalizando sua estreia em mundiais na 6ª colocação.

O vermelho, cor símbolo dos soviéticos, era predominante também em seus uniformes e estava presente tanto nas camisas quanto nas meias, já o calção era tradicionalmente branco. Além disso, a camisa trazia no peito a sigla CCCP de Союз Советских Социалистических Республик (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) em branco. Esse mesmo uniforme foi usado em todas as 5 partidas disputadas nesse Mundial.

PRIMEIRO UNIFORME

O Lendário goleiro Lev Yashin disputou as 5 partidas dos soviéticos nessa Copa. Reconhecido como um dos melhores goleiros na história, ele era tão bom que parecia ter 8 braços e sempre usava um uniforme inteiramente preto, daí o apelido “Aranha Negra”.

UNIFORME DE GOLEIRO

Irlanda do Norte 1958

A Irlanda do Norte conseguiu se classificar para o seu primeiro Mundial eliminando a Itália e apostando em uma defesa forte.

No entanto, essa conquista quase foi por água abaixo. Para os anglicanos, religião predominante no país, o domingo é considerado o dia do descanso e por isso nenhuma atividade deve ser realizada, nem as atividades esportivas. O time só foi liberado para disputar a Copa depois que o próprio clero anunciou sua bênção.

Devidamente abençoado os irlandeses entraram em campo contra a Tchecoslováquia e na visão de muitos conseguiu um verdadeiro milagre, vencer a forte seleção Tcheca por 1 a 0.

O segundo adversário foi a Argentina, que infernizou a forte defesa irlandesa e conseguiu marcar três vezes. Os europeus até saíram na frente, mas perderam de virada por 3 a 1.

Para fechar a primeira fase os britânicos enfrentaram a poderosa seleção da Alemanha. Os germânicos jogavam pelo empata, mas tomaram a iniciativa do jogo durante toda a partida. Ainda assim, foram os  irlandeses que passaram à frente do placar em dois contra-ataques. No final a Alemanha mostrou sua força e buscou o empate por 2 a 2.

Com esse resultado Irlanda do Norte e Tchecoslováquia terminaram a primeira fase empatados e tiveram que disputar uma partida desempate. Os especialistas diziam que o mesmo raio não cairia duas vezes no mesmo lugar e que os irlandeses não teriam chances dessa vez. Tudo seguia o roteiro quando o goleiro reserva falhou e os tchecos saíram na frente, mas a Irlanda do Norte conseguiu buscar e segurar o empate até o final da partida. Já na prorrogação eles conseguiram marcar mais uma vez vencendo por 2 a 1 e contrariando a todas as expectativas.

Nas oitavas o adversário foi a França, dona de um poderoso ataque. Os irlandeses estavam exaustos, vindos de uma partida desempate com prorrogação dois dias antes. Além disso, o goleiro titular estava machucado e teve que jogas no sacrifício, pois o reserva estava ainda pior. Com tudo isso os franceses não tiveram problemas em passar por cima dos irlandeses vencendo por  4 a 0. Dessa forma a Seleção da Irlanda do Norte foi eliminada de seu primeiro Mundial ocupando a honrosa 7ª colocação.

A ilha da Irlanda é conhecida como ilha esmeralda isso por que, com seu clima único, a natureza está sempre muito verde. Por esse motivo também o verde se torno a cor símbolo do país e tanto a Irlanda do Norte quanto a sua vizinha do Sul usam camisas verdes em seus uniformes. Completa o kit o calção branco e a meias também verdes.

PRIMEIRO UNIFORME

Os goleiros Harry Gregg e Norman Uprichard usaram camisas amarelas nesse mundial.

UNIFORME DE GOLEIRO

Iugoslávia 1958

A Iugoslávia chegou à Copa de 58 com uma equipe envelhecida, mas que ainda mantinha o vigor do Mundial anterior. Vigor inclusive que chegava à brutalidade em alguns momentos.

 Para a estreia contra a Escócia os iugoslavos esconderam dois titulares durante os treinos. A arma secreta funcionou e os eslavos conseguiram abrir o placar, mas na segunda etapa os escoceses empataram e a partida terminou 1 a 1.

O segundo jogo foi contra a forte Seleção Francesa, que apesar de mostrar um futebol mais agradável, enfrentou muitas dificuldades contra o jogo bruto da Iugoslávia.  A França abriu o placar logo no início da partida, mas os iugoslavos conseguiram a virada no finzinho do jogo, vencendo por 3 a 1.

Com uma vitória e um empate os iugoslavos precisavam apenas de um empate contra o Paraguai na última partida para se classificarem para a próxima fase.  Os sul-americanos que precisavam vencer tentaram usar sua principal arma na partida, a violência, mas os europeus tinham as mesmas armas e elas praticamente se anularam. Ainda assim, a partida teve muitos gols e mesmo com a Iugoslávia passando a frente três vezes os paraguaios conseguiram igualar o marcador. Com o empate e 3 a 3 a Iugoslávia passou à próxima fase.

Assim como em 54, a Iugoslávia chegou as 4ª de final e por uma dessas coincidências da vida e do futebol o adversário novamente foi a Alemanha e para a tristeza dos iugoslavos as coincidências não pararam por aí. Novamente os alemães abriram o placaram no início do jogo e passaram o resto do jogo usando a cabeça para impedir as jogadas areias propostas pela Iugoslávia. A única diferença foi que dessa vez, apesar de acertar a trave dos iugoslavos algumas vezes, o placar ficou em apenas 1 a 0 para a Alemanha.  Com a derrota a Iugoslávia terminou o Capo de 1958 na 8ª Colocação.

Nessa Copa a Seleção Iugoslava usou sem uniforme tradicional, camisa azul com o logo da chama vermelha no peito, calção branco e meias vermelhas.

PRIMEIRO UNIFORME

Esse uniforme foi usado nas partidas contra Escócia, Paraguai e Alemanha.

SEGUNDO UNIFORME

O uniforme principal foi usado em quase todas as partidas com exceção de uma em que a camisa azul foi substituída pela camisa branca. Com esse uniforme alternativo a Iugoslávia conquistou sua única vitória nesse Mundial, na partida contra a França.

UNIFORME DE GOLEIRO

Os goleiros Vladimir Beara e Srboljub Krivokuća usaram uniformes negros nessa Copa, como era tradicional para os goleiros iugoslavos.

Evolução Uniforme da Indonésia

Primeiro Uniforme

A primeira partida disputada pela Seleção Indonésia ocorreu em 1934 com uma incrível vitória de 7 a 1 contra o Japão. Nessa época o país ainda era uma colônia holandesa recebia o nome de Índias Orientais Holandesas.Indias Holandesas-1 38 C

Com esse nome ainda, os indonésios disputaram a Copa de 1938 entrando para a história com duas marcas. Eles foram a primeira Seleção asiática a disputar uma Copa do Mundo e são a única seleção da história a disputar apenas uma partida do Mundial, derrota por 6 a 0 para a Hungria.

A Indonésia só conquistou sua independência após o término da II Guerra Mundial e durante o período de colonização não existem muitas informações sobre os uniformes usados. O único registro é exatamente a derrota para a Hungria no Mundial de 38. São fotos em preto e branco que dificultam a definição das cores, mas alguns documentos não oficiais afirmam que o uniforme era composto por camisa laranja, calção branco e meias azuis (assim, como o holandês).

All+smiles+from+India+after+their+football+win+Picture+from+the+official+reportCom a independência a Indonésia passou a usar as cores de sua nova bandeira o vermelho e o branco, contudo alguns relatos contam que no início dos anos 50 eles jogaram com camisas verdes. Existem algumas fotos que também sugerem que os indonésios usaram uma camisa quadriculada em vermelho e branco (em referência ao seu brasão) durante um tempo.

Depois disso o uniforme titular passou a ser inteiramente vermelho e com o passar dos anos o calção passou a ser branco.

               gettyimages-2790324-2048x2048    gettyimages-75302519-2048x2048    gettyimages-51079535-2048x2048   gettyimages-51271938-2048x2048

Em 2012 a Nike lançou uma camisa com detalhes em verde fazendo uma referência histórica a camisa usada na década de 50 e manteve esse padrão desde então.

                                    indonesia home 12 mw andik-500x500                    gettyimages-832053220-612x612

No entanto em 2020 a empresa local Mills Sport produziu um uniforme indonesia-2020-2021-mills-sport-home-kit-8com um estilo mais limpo sem muitos detalhes e preservando apenas o vermelho e branco da bandeira nacional.

Segundo Uniforme

gettyimages-52490200-2048x2048

O uniforme reserva dos indonésios sempre foi tradicionalmente branco com detalhes em vermelho e com o calção variando entre branco e vermelho, assim como o calção titular. Contudo, o verde que apareceu na camisa titular apenas em 2012 deu as caras no uniforme reserva muito antes disso. Em 2000 a adidas laçou uma camisa verde para a Indonésia com o mesmo template usado pela França na Copa de 98.

football_shirt_40482_1_500x486x1

Depois disso a camisa reserva voltou a ser branca, mas o verde passou a ser constante nos detalhes e no calção.

                                                     gettyimages-75462849-2048x2048                              1370674326 B

Para ver a evolução do uniforme da Seleção da Holanda em Copa click na imagem abaixo.Indonesia

Tchecoslováquia 1958

A Tchecoslováquia havia, até então, disputados todas as Copas realizadas em solo europeu e em 58 não foi diferente. Depois de passar por País de Gales e Alemanha Oriental os tchecos chegaram ao seu quarto Mundial tentando apagar a péssima campanha na Copa anterior.

Na estreia os tchecos enfrentaram a Seleção da Irlanda do Norte, considerada a mais fraca do grupo. No entanto, o jogo foi muito duro e sem muitas chances e para a surpresa te todos a Seleção Tcheca foi derrotada por 1 a 0 com um gol marcado ainda no início do primeiro tempo.

Se o primeiro adversário foi o mais “fraco” do grupo o segunda era uma verdadeira pedreira, a Alemanha era a atual campeã e novamente uma das favoritas ao título. Os alemães começaram dominando o jogo e perderam algumas chances claras de gol, mas com o passar do tempo os tchecos foram se sentindo mais à vontade na partida e em dois contra-ataques conseguiram abrir dois a zero no placar, ainda na primeira etapa. No seguindo tempo, porém a pressão germânica foi ainda maior e eles conseguiram empatar o jogo que terminou 2 a 2.

O grupo chegou na última rodada embolado e indefinido. A vitória da Alemanha sobre a Irlanda do Norte era dada como certa e sendo assim, o vencedor do duelo entre Argentina e Tchecoslováquia se classificaria para a próxima fase. Os tchecos, até então na última colocação do grupo, não pareciam dispostos as perder essa derradeira chance, aproveitando de muitas falhas dos defensores argentinos eles abriram três gol de diferença ainda no primeiro tempo e terminaram a partida com uma sonora goleada por 6 a 1.

Dessa forma a Seleção Tcheca fez a sua parte, mas para a surpresa geral os irlandeses conseguiram segurar o empate contra a Alemanha. Com isso as Tchecoslováquia e Irlanda do Norte terminaram empatadas, ambas com uma vitória um empate e uma derrota, e por isso tiveram que disputar uma partida desempate.

Depois da goleada sobre a Argentina os tchecos chegaram com moral para o duelo, mesmo com a derrota no primeiro confronto. Aos 19 minutos do primeiro tempo eles abriram o placar, mas novamente contrariando as expectativas os irlandeses buscaram o empate no final do primeiro tempo, a virada no início do segundo e seguraram o resultado de 2 a 1 até o final. Com a derrota a Tchecoslováquia foi eliminada do Mundial ainda na primeira fase e ocupando a 10ª posição.

Nesse Mundial os tchecos usaram quatro combinações deferentes de uniformes um em cada partida. O uniforme titular era composto por camisa e calção branco e as meias listradas em branco, vermelho e azul, (típicas dos tchecos nesse período) esse uniforme foi usado na estreia contra a Irlanda do Norte.

PRIMEIRO UNIFORME

Já na partida contra a Argentina eles usaram esse mesmo uniforme, mas com as meias brancas.

UNIFORME ALTERNATIVO

Contra a Alemanha os Tchecos usaram o seu uniforme reserva, com a camisa vermelha o calção branco e as meias listradas.

SEGUNDO UNIFORME

E no jogo desempate contra a Irlanda do Norte eles usaram o uniforme reserva, mas com as meias brancas.

UNIFORME ALTERNATIVO

O goleiro Břetislav Dolejší usou um uniforme todo negro em todas essas partidas.

UNIFORME DE GOLEIRO

Hungria 1958

O time húngaro que chegou à Copa de 1958 não era nem sombra da equipe que encantou o mundo 4 anos antes chegando à final da Copa e perdendo de forma surpreendente.  O principal motivo foi a invasão Soviética ocorrida nesse meio tempo.

Mesmo conquistando a classificação com facilidade nas eliminatórias, passando por Noruega e Bulgária, a Seleção Húngara tinha muito para provas durante a Copa. O primeiro adversário foi o País de Gales, e os húngaros animaram quando saíram na frente do placar, mas os galeses conquistaram o empate abusando do jogo aéreo e a partida terminou 1 a 1.

O segundo adversário foi a dona na casa Suécia, e tudo parecia estar contra a Hungria nessa partida e isso incluía o arbitro e até mesmo o seu zagueiro Berende que entregou um gol de graça para a Suécia abrir o placar. Depois disso os húngaros partiram para o ataque e quase empataram, mas ainda tomaram o segundo gol antes de conseguir diminuir. A derrota por 2 a 1 complicava muita suas chances nesse Mundial.

Contudo os húngaros viram suas chances renasceram com o empate entre Suécia e País de Gales e partiram com tudo para cima do México seu terceiro adversário. A seleção Húngara chegou a lembrar a equipe de 54 e passou por cima dos mexicanos, vencendo por 4 a 0 e poderia ser ainda mais.

Dessa forma Hungria e País de Gales tiveram que disputar um jogo extra e dessa vez os húngaros eram vistos como os grandes favoritos. Animados com o êxito da partida anterior a Seleção Húngara partiu para o ataque e conseguiu abrir o marcador ainda no primeiro tempo. No entanto, contrariando os prognósticos os galeses conseguiram o empate no início do segundo tempo e a virada nos 15 min finais da partida. Com a derrota por 2 a 1 a Hungria dava adeus a Copa e a uma era de ouro de sua história.

Nessa Copa a Seleção Húngara entrou em campo com algumas variações do seu uniforme. O uniforme titular tradicional com camisa grená, calção branco e meias verdes foi usado apenas na partida contra Suécia

PRIMEIRO UNIFORME

Já na partida contra o México os húngaros usaram esse mesmo uniforme porém com as meias brancas.

UNIFORME ALTERNATIVO

E o também tradicional uniforme reserva, todo branco com faixas horizontais vermelha e verde no peito, formando a bandeira nacional. Esse uniforme foi usado nas duas partidas contra o País de Gales.

SEGUNDO UNIFORME

O goleiro Grosics usou um uniforme todo negro em todas as partidas.

UNIFORME DE GOLEIRO

Inglaterra 1958

A Inglaterra chegou ao seu terceiro mundial assombrado por uma tragédia. Em fevereiro de 1958 um acidente aéreo vitimou 8 jogadores do Manchester United, que formava a base da seleção, incluindo os craques do time Duncan Edwards e Tommy Taylor.

Ainda em luto os ingleses caíram no grupo D junto com Brasil, Áustria e União Soviética. A estreia foi contra os soviéticos que tinham um futebol científico e não guardavam posição, quando os ingleses finalmente entenderam o que estava acontecendo já perdiam por dois gols. Depois disso eles passaram o resto do jogo cruzando a bola na área e conseguiram diminuir de cabeça e depois empatar com um pênalti mal marcado.

A segunda partida foi contra o Brasil, que conseguiu se defender bem do jogo aéreo inglês. Por outro lado, o goleiro inglês McDonald conseguiu segurar o ataque brasileiro com boas defesas. Dessa forma uma partida terminou 0 a 0 pela primeira vez na história das Copas.

Depois de dois empates bastava ao English Team vencer a Áustria, que vinha de duas derrotas, para se classificar para a segunda fase da Copa. No entanto, os ingleses não contavam com a pontaria austríaca que passou a frente do marcador, por duas vezes, com chutes de longa distância. Os britânicos ainda conseguiram buscar o empate e a partida terminou 2 a 2.

Com esse resultado, Inglaterra e União Soviética ficaram empatados na segunda posição do grupo e, como não havia critério de desempate, tiveram que disputar uma nova partida.  O jogo foi tenso e disputado, os soviéticos dominaram o primeiro tempo e os ingleses o segundo, mandando duas bolas na trave e tendo um gol anulado. Ainda assim, justamente quando estava sendo dominada a União Soviética conseguiu marcar o único gol da partida e venceu por 1 a 0.

Com esse resultado a Inglaterra, que no início da temporada de 1958 sonha com o título mundial, foi eliminada ainda na primeira fase e terminou o mundial na 11ª posição.

Nesse mundial os ingleses usaram o seu uniforme tradicional  (camisa branca calção azul e meias vermelhas) em todas as partidas.

PRIMEIRO UNIFORME

O goleiro McDonald uso uma camisa amarela nas duas partidas conta a União Soviética e, como era tradição nas equipes britânicas, o complemento do uniforme seguia o dos jogadores de linha.

UNIFORME DE GOLEIRO

Nas partidas contra o Brasil (que usava um uniforme amarelo) e contra Áustria (cujo goleiro também usava uniforme amarelo) o goleiro inglês usou uma camisa aparentemente verde ou azul.

SEGUNDO UNIFORME DE GOLEIRO